Missa dos Santos Óleos: Celebração sem o povo aconteceu nesta terça-feira (3) na Diocese de Camaçari - Jornal Camaçari - Pra quem quer mais!

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Missa dos Santos Óleos: Celebração sem o povo aconteceu nesta terça-feira (3) na Diocese de Camaçari


De portas fechadas e sem a presença do povo, a Missa da unidade deste ano foi muito diferente na Diocese de Camaçari. A celebração, presidida pelo bispo diocesano, Dom João Carlos Petrini aconteceu na manhã desta terça-feira(04/08), na Catedral São Thomaz de Cantuária, com a presença dos padres, diáconos, seminaristas e uma equipe auxiliar, e foi acompanhada pelos fiéis através da internet. 

Durante a homilia Dom Petrini falou sobre a atual situação de pandemia, que esse é um momento para renovação e motivou os sacerdotes para levar para o povo um olhar privilegiado de compreensão da realidade dos desafios enfrentados "Sairemos mudados desta situação se, por meio das provocações que a realidade nos faz, aprofundarmos a compreensão de quem somos e por que e para que vale a pena viver, o que nos permite vencer o desânimo e a desesperança. Este é tempo de usar o coração, isto é, a inteligência, a afetividade e a liberdade para avaliar, para discernir, para escolher, para decidir, para tomar atitudes", disse.

Neste dia que também é celebrado São João Maria Vianey, padroeiro dos sacerdotes, ele destacou o papel de cada padre como ungido de Deus "É o próprio Jesus que unge os padres, para que tomem parte de seu Sacerdócio e os envia com a tarefa de anunciar a boa nova aos pobres, de afastar os adolescentes do desequilíbrio e de atitudes insensatas, de salvar os jovens do desânimo e do vazio e os casais da desunião, os idosos e doentes da solidão. É Jesus que continua agindo entre nós, neste nosso tempo, através das pessoas que ele chama e envia para que Sua potência divina, comunicada pela unção do seu Espírito, alcance com força salvadora o povo de Deus. Quando vivemos com essa consciência, cada pessoa que encontramos sente-se resgatada de sua aparente nulidade, fraqueza, mesquinhez ou confusão e convidada a viver como quem participa de uma festa. Com sua morte e ressurreição, Jesus permaneceu presente e chega até nós pela carne daqueles que continua a chamar e a enviar como companheiros de caminho dos homens e mulheres do nosso tempo". 

Ele ressaltou ainda o papel de cada padre nesses tempo difíceis "Neste tempo de pandemia ficou clara  a nossa tarefa de tornar a vida dos homens e das mulheres do nosso tempo mais humana, mais digna, mais carregada de significado e de beleza, mais apaixonada e atenta ao drama das pessoas, mais aberta para acolher e perdoar, para socorrer e promover, para estabelecer relacionamentos de amizade fraterna, para lutar pela justiça e pela paz, não por nossa capacidade, mas pela graça de sua Presença que vence o mal e a morte. Por isso, somos convidados a renovar o nosso sim, respondendo ao seu chamado", concluiu. [ Confira aqui a homilia na integra] .

Logo após a homilia, os padres renovaram as Promessas feitas no dia da Ordenação Sacerdotal e em seguida foi realizada a bênção dos óleos que são usados no batismo e na unção os enfermos e consagrou o óleo do crisma que é misturado a um bálsamo perfumado que significa que o cristão deve irradiar o bom perfume de Cristo, durante a consagração o bispo sopra sobre o óleo significando a plenitude do Espírito Santo. 

Após a Missa, representando o conselho presbiteral, o Pe.Reinaldo Balbino fez uma reflexão sobre como ser padre nesse tempo de pandemia "É um tempo de desafios nunca experimentado entre nós, mas ser padre não é fazer coisas, mas ser como Cristo o bom pastor que não abandona as ovelhas. Isso não impediu de evangelizar, dar aos corações atribulados a esperança o rumo da fé, a prática da caridade" e finalizou encorajando os padres "coragem, não estamos sozinhos, Deus não nos abandona ele combate o mal conosco".