Carbonor inaugura nova unidade industrial no Polo de Camaçari e amplia capacidade produtiva - Jornal Camaçari - Pra quem quer mais!

segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Carbonor inaugura nova unidade industrial no Polo de Camaçari e amplia capacidade produtiva


A Carbonor  inaugurou uma nova unidade no Polo Industrial de Camaçari, com capacidade de produção anual de 27 mil toneladas de dióxido de carbono, 30 mil toneladas de óxido de cálcio ou 34 mil toneladas de cal hidratada. Como maior produtora de bicarbonato de sódio da América Latina, a empresa dependia do fornecimento de dióxido de carbono da antiga Fafen. A nova unidade possibilita a total independência de fornecimento externo dessa matéria prima. 

Com a nova unidade, a Carbonor impulsionou o incremento de 75% na sua capacidade produtiva, agregando também mais 25 novos empregos diretos e 75 indiretos aos cerca de 150 empregos diretos e 450 indiretos no Polo de Camaçari. O destaque da nova unidade é a forma de produção mais sustentável, sendo uma das primeiras no mundo a capturar o dióxido de carbono a partir das emissões de um sistema de calcinação de calcário - quando o mais comum nesse tipo de operação é descartar o CO2 para a atmosfera. O processo proporciona à nova unidade uma redução de mais de 75% no uso de combustíveis fósseis, gerando 100% de sua energia térmica a partir da biomassa e outras fontes renováveis.

No primeiro mês de funcionamento, o presidente da Carbonor, Paulo Sérgio França Cavalcanti, informa que “a unidade já produziu 750 toneladas de dióxido de carbono e 800 toneladas de óxido de cálcio”, ressaltando que “a expectativa é produzir, no primeiro ano, 18 mil toneladas de dióxido de carbono, que será consumido dentro da empresa para fabricação do bicarbonato de sódio, além de 20 mil toneladas de óxido de cálcio, que serão ofertadas ao mercado”. 

Segundo o presidente, a empresa já está planejando ampliação: “Esta nova unidade industrial já foi montada com espaço para acrescentar um segundo forno, prevendo a duplicação da sua capacidade de produção. Assim, a partir do segundo ano, espera-se aumentar essa capacidade para 54 mil toneladas de dióxido de carbono, 60 mil de óxido de cálcio ou 64 mil de cal hidratada, ofertando também o dióxido de carbono ao mercado, além de agregar valor a cal, passando a fornecer cal hidratada”.

Vantagem competitiva

O diferencial da nova fábrica da Carbonor no Polo de Camaçari é a sustentabilidade ambiental. Como afirma Paulo Sérgio França Cavalcanti, “a rota tecnológica para produção de CO2 na nova unidade da Carbonor é uma vantagem competitiva. Ela gera dióxido de carbono a partir de uma fonte não fóssil, que é o calcário calcítico - sendo um método de vanguarda e processualmente limpo. A calcinação de calcário é uma tecnologia conhecida no Brasil e no mundo. Contudo, habitualmente o CO2 gerado neste sistema é lançado na atmosfera. No processo da Carbonor, ele será aproveitado dentro do site industrial para produção de bicarbonato de sódio.

A nova unidade da Carbonor irá gerar 100% de sua energia térmica a partir da biomassa e/ou outras fontes renováveis, o que representa uma redução de mais de 75% no uso de combustíveis fósseis no processo produtivo. Esta nova rota tecnológica habilita a empresa à condição de “Empreendimento Verde”, deixando-a alinhada para pleitear créditos de carbono. Além disso, o novo portfólio de produtos leva a Carbonor a sair da condição de monoprodutor, tornando-se uma fonte disponível de cal puro para as indústrias vizinhas no Polo de Camaçari”. 

Como a nova rota tecnológica para produção de CO2 em funcionamento na nova fábrica, o presidente explica que “a Carbonor reafirma as diretrizes de sustentabilidade da empresa, tornando-a elegível junto aos procedimentos e metodologias da UNFCCC (órgão da ONU) para geração de créditos de carbono. A estimativa de geração de créditos de carbono do projeto é de 40 mil t/a de CO2 equivalente a serem certificados”.


Vale destacar que a Carbonor é uma empresa nacional, líder na produção de bicarbonato de sódio. Única detentora de tecnologia de produção de bicarbonato para hemodiálise no Brasil com capacidade de produção de 80 mil ton/ano, cerca de 75% da demanda nacional de bicarbonato de sódio. Com clientes em todo território nacional, bem como exportações para diversos países, a empresa produz bicarbonato de sódio para os segmentos da agroindústria, alimentício, cosméticos, faramcêutico, higiene e limpeza, tratamento de efluentes industriais, tratamento de água, indústria química, nutrição animal, veterinário, hemodiálise e extintores de incêndio. 

Atuação na pandemia
Como serviço essencial, a Carbonor adotou protocolos de saúde específicos para continuar funcionando com mais segurança durante este período de pandemia, como a distribuição de uma solução para higienização das casas dos próprios colaboradores. O objetivo é garantir um ambiente mais seguro tanto no trabalho quanto em casa. “Não adianta estar em home office e não respeitar os protocolos de higiene. Por isso, ofertamos a todos uma solução desinfetante de hipoclorito de sódio a 0,2% para que possam fazer a limpeza de suas residências de forma mais eficiente” explica o presidente, Paulo Sérgio França Cavalcanti.

Como medida preventiva, a empresa também promoveu uma campanha de vacinação contra a gripe H1N1, Influenza e pneumonia nas suas dependências, abrangendo todos os funcionários próprios e de contratadas, além de realizar a testagem de 20% dos colaboradores para o coronavírus. E para evitar que seus funcionários se dirigissem a unidades de saúde caso apresentassem sintomas não relacionados ao coronavírus, a empresa contratou um médico exclusivo para atender os colaboradores por via virtual, ajudando a dirimir dúvidas e definir protocolos sobre a Covid-19. 

Todas as demais recomendações dos órgãos de saúde responsáveis foram adotadas pela empresa, como, distribuir máscaras reutilizáveis para funcionários e seus familiares; colocar em home office os integrantes dos grupos de risco e alugar máquinas para eles trabalharem de casa; tornando obrigatório o uso de máscaras de proteção em toda a indústria, disponibilizando álcool em gel nas áreas comuns e aferição de temperatura de todos ainda na entrada.