Bolsonaro minimiza mortes por Covid e manda apoiadora que o questionou se retirar - Jornal Camaçari - Pra quem quer mais!

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Bolsonaro minimiza mortes por Covid e manda apoiadora que o questionou se retirar


O presidente Jair Bolsonaro ignorou a manifestação de uma apoiadora e mandou a mulher se retirar após ser questionado sobre as cerca de 38 mil mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil, na manhã desta quarta-feira, 10, no Palácio da Alvorada. “Cobre do seu governador. Sai daqui”, disse Bolsonaro. O presidente voltou a minimizar a pandemia e afirmou, em outro momento, que “mortes estão havendo no mundo todo, não apenas pela covid”.

“Nós temos hoje 38 mil mortos por causa do covid. E, assim, não são 38 mil estatísticas, são 38 mil famílias que estão morrendo nesse momento, que estão chorando, o senhor, como chefe da nação, eu votei no senhor, fiz campanha para o senhor, acho até que o senhor me conhece. E eu sinto que o senhor traiu a nossa população”, disse a mulher.

Em seguida, a apoiadora afirmou que a população está morrendo, mas Bolsonaro silencia, se afasta e outras pessoas começam a falar com ele. Diante da insistência, o presidente diz para a mulher parar de falar ou, então, sair do local. “Se você quiser falar, sai daqui, já foi ouvido. Cobre do seu governador. Sai daqui”, ordenou o presidente.

O mandatário voltou a minimizar as mortes por coronavírus ao dizer que os óbitos acontecem no mundo todo, e não apenas pela covid-19. “Aquela figura falando abobrinha ali. Vem usar uma coisa séria, as mortes, para fazer demagogia aqui, todos nós respeitamos e temos compaixão pelo pessoal que perdeu um familiar, não importa a circunstância”, disse.

“Mortes estão havendo no mundo todo, não é apenas a covid. Agora, querer culpar a mim… Tem muita gente morrendo de fome, depressão, suicídio, uma política feita apenas de um lado”, finalizou Bolsonaro.