segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Secretário de Segurança Pública defende ação policial após acusações de "queima de arquivo" em morte de miliciano

Foto: divulgação/Polícia Civil

O secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, comentou nesta segunda-feira (10/2) a ação que matou Adriano Nobrega, ex capitão da Polícia Militar do Rio de Janeiro e suspeito de integrar uma mílicia. Ele é apontado de ter assassinado a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. O ex-oficial era procurado internacionalmente, de acordo com a SSP.

Alguns deputados e partidários de Marielle questionaram a morte de Adriano nas redes sociais. O advogado dele chegou a falar que o ex policial suspeitava que seria vítima de "queima de arquivo".

"Gostaria que respeitassem o trabalho da nossa polícia", pediu o secretário. Também prometeu que a SSP agirá com máxima agilidade e total transparência. "Estávamos diante de uma pessoa de alta periculosidade, envolvidos em diversos crimes e com treinamento de tiro, pois chegou a ser um policial de operações especiais. Óbvio que queríamos efetuar a prisão, mas jamais iríamos permitir que um dos nossos ficasse ferido ou saísse morto". 

O secretário disse ainda que as equipes envolvidas agiram da melhor forma. "Temos que reconhecer a coragem e técnica dos policiais militares baianos destacados nessa missão". O chefe da pasta baiana falou ainda que o caso será apurado pela Corregedoria.